Seguidores. Siga-nos Também Irmãos em Cristo !!

Desmacarando as Testemunhas de Jeová - Parte 06

Postado por: Igreja Assembleia de Deus Cidade Nova
VI. A MENTIRA DESMASCARADA
As "testemunhas" têm suas mentes entorpecidas pelo erro, perversão e engano do diabo. De tanto blasfemarem de Deus e da sua Palavra é-lhes quase impossível se deixarem iluminar pela luz do Evangelho. Eles foram programados, "educados" e robotizados para crerem nas mentiras e embustes de Russell, Rutherford e Knorr, líderes jeovistas. Todos, em vida, dizendo-se detentores de conhecimentos que os faziam mestres do hebraico e do grego, lín­guas originais da Bíblia, foram desmascarados e levados à vergo­nha pública por parte de tribunais de suas épocas.

6.1. Uma Tradução Infiel
Na impossibilidade de encontrar na Bíblia respaldo para os ab­surdos cridos e defendidos pelo jeovismo, alguns líderes desta seita manipularam a tradução de uma bíblia cheia de heresias, como for­ma de sacralizar os seus erros e embustes. Essa tradução recebeu o nome de Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas.

Por muitos anos foram mantidos em sigilo os nomes dos auto­res dessa tradução de fundo de quintal. Em um julgamento, em 1954, na Escócia, respondeu a "testemunha" F.W. Franz que a ra­zão de tal sigilo era porque o comitê de tradução queria que ela permanecesse anônima, e não buscava qualquer glória ou honra Para a obra da tradução, ostentando nomes ligados a ela. Mas o senhor William Cetnar, que trabalhou por vários anos na sede da

Sociedade Torre de Vigia, quartel-general das testemunhas-de-jeová, no Brooklyn, Nova Iorque, Estados Unidos, analisa o pro­blema e conclui dizendo que o anonimato dos tradutores da citada bíblia tem duplo significado: 1) As qualificações dos tradutores não podiam ser verificadas e avaliadas. 2) Não havia ninguém que assumisse a responsabilidade pela tradução. E a seguir, cita os nomes de Nathan H. Knorr, A. D. Schroeder, G. D. Gangas, M. Henschel, e do próprio F. W. Franz, como tradutores da citada bíblia, conforme dizem as "testemunhas", traduzida diretamente dos ori­ginais hebraico e grego (?).

6.2. O Mestre de Línguas que Ignorava Línguas

F.W. Franz, que se dizia mestre em hebraico, demonstrou ab­soluta ignorância quanto ao manejo da citada língua. Veja, por exemplo, a troca de perguntas e respostas entre o Procurador da Coroa Escocesa e o próprio Franz, retiradas de uma peça do julga­mento sofrido por Franz em novembro de 1954, na Escócia:


P. Também se familiarizou com o hebraico?

R. Sim...

P. Portanto, tem instrumentos lingüísticos substanciais à sua disposição?

R. Sim, para uso do meu trabalho bíblico.

P. Penso que o senhor é capaz de ler e seguir a Bíblia em hebraico, grego, latim, espanhol, português, alemão e francês...

R. Sim (Prova de Acusação p. 7)...

P. O senhor mesmo lê e fala hebraico, não é verdade?

R. Eu não falo hebraico.

P. Não fala?

R. Não.

P. Pode, o senhor mesmo, traduzir isto para o hebraico?

R. O quê?

P. Este quarto versículo do segundo capítulo de Gênesis.

R. O senhor quer dizer, aqui?

P. Sim.

R. Não, eu não tentaria fazer isso (Prova da acusação, p. 61).

(Não nos esqueçamos de que Franz é apontado entre os tradu­tores da Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagrada, a Bí­blia jeovista.)


6.3. Russell Ignorava o Grego

Em 1912, o reverendo J.J. Ross, na época pastoreando a Igreja Batista de James Street, em Hamilton, Ontário, no Canadá, foi processado por Charles Russell (o pai espiritual das "testemunhas-de-jeová"), por haver publicado um panfleto: Alguns Fatos Sobre o Pretenso Pastor Charles T. Russell, no qual Ross garantia que Russell era ignorante no que diz respeito à língua grega; o que Russell considerou difamatório. No final do processo o reverendo Ross foi absolvido, ficando provadas as acusações feitas contra Russell.

A seguinte transcrição foi retirada ou trasladada dos autos do citado processo, e registra perguntas feitas pelo advogado Staunton (advogado de Ross) a Russell:


P. O senhor conhece o alfabeto grego?

R. Oh! Sim!

P. O senhor poderia me dizer os nomes dessas letras se as visse?

R. Algumas delas; talvez me enganasse com outras.

P. Poderia me dizer os nomes dessas que estão no alto da pági­na 447, que tenho em mãos?

R. Bem, não sei se seria capaz.

P. O senhor não conhece essas letras? Veja se as conhece.

R. "Meu caminho..."

(Ele foi interrompido nesse ponto e não lhe permitiram explicar.)

P. O senhor conhece a língua grega? R. Não.


6.4. Conclusão

Os incidentes aqui citados poderiam ser de nenhuma impor­tância, caso não soubéssemos que as testemunhas-de-jeová, feitas sob medida, possuem as mesmas habilidades de seus mestres quan­to à aplicação do velho truque que os faz passar por conhecedores das línguas originais da Bíblia. Dizer que sabem grego é uma coi­sa; prová-lo é coisa bem diferente.

Veja um método infalível de provar como as testemunhas-de-jeová nada conhecem de grego. Tome um Novo Testamento gre­go, e peça que qualquer um deles designe um determinado texto (João 3.16 é um exemplo). Facilmente você descobrirá que as tes­temunhas-de-jeová, a despeito de "sinceras", estão redondamente equivocadas e presas pelo engano do deus deste século, que, com sua astúcia, tem cegado o entendimento dos homens, de sorte que não sejam iluminados pela luz do Evangelho.
Marcadores:

3 comentários:

Vidas Compartilhadas disse...

gostei destas informaões , e necessarios que estas e outras informaçãos cheguem ate aos jovesn das igrejas não podemos deixar que este grupo roubem a esperança a fé que temos el Jesus. por favor momtem cartilhas começameçando com deuteronomio 18 v 21 22) e como dar credito a uma ceita que ja mudou de ensinamento 374 vezes,preveu a vinda de Cristo mais de 07 vezes e erraram todas.vamos cuidar de nossos futuros cristaos preparando -os para não serem enganados. sou evangélica ha mais de 20 anos e nunca aprendi dentro da igreja a me defender destas ante-cristo, eu por minha propria vontade começei a pesquizar pra ajudar meus filhos e outros que precisarem de ajuda.por favor tirem um momento especificos,traguem as pessoas pra aprenderem mais sobre este assunto, muitos crentes estão sendo fisgados por falta de comprometimento dos lideres evangelicos ,que estão sobestimando este grupo que de porta em porta de dois em dois estão organizados preparados pra desvalorizar nosso mestre Jesus

BARIP disse...

Intolerância religiosa é crime
A Lei n.º 7.716/89 (Lei Caó) do Código Penal diz : a) ofender alguém com xingamentos relativos à sua raça, cor, etnia, religião ou origem. (Art. 140 do Código Penal (injúria), com a qualificadora do §3º. Pena: um a três anos de reclusão). Inclui-se aqui o ato de ofender alguém com xingamentos à sua religião.
Em São Paulo, ocorrências de natureza preconceituosa podem ser registradas na Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância. A ONG Liberdade Religiosa auxilia vítimas de intolerância religiosa a procurarem seus direitos.

BARIP disse...

ESTARIAM OS MEMBROS DA SEITA ASSEMBLÉIA COMETENDO DESCARADAMENTE UMA INFRAÇÃO LEGAL DE MANEIRA LEGÍTIMA, PÚBLICA E OFICIAL?



Rádio

Rádio Tempo de Amar